Nota Histórica

Embora a fundação da Cooperativa remonte ao ano de 1957, esta resulta de uma determinação com origens a 1895, quando 24 agricultores criaram o Sindicato Agrícola de Felgueiras para defender a terra e os seus direitos. Anos mais tarde, em 1933, foi decidida a aquisição de um terreno, no Campo da Feira, para novas instalações, bem como a passagem da designação para Cooperativa Agrícola “Felgueirense” SCRL. Contudo, com a criação do Grémio da Lavoura de Felgueiras, a 10 de dezembro de 1940, deixava de haver razões para existir a Cooperativa “Felgueirense”, sendo esta dissolvida e integrada no Grémio.

Continuar a ler

Mas, o grémio não conseguia dar solução a todos os problemas agrícolas sobretudo os relacionados com a vinha. Perante a preocupação com este setor, meia centena de agricultores fundaram, com o apoio do Grémio da Lavoura de Felgueiras, a Adega Cooperativa cuja escritura foi lavrada a 24 de julho de 1957.

Seguidamente, adquiriu-se terreno e construiu-se as primeiras infraestruturas. A 26 de se¬tembro de 1959, foi dia de festa com a inauguração das instalações. Uma vez alcançado este obje¬tivo, procurou-se dar mais um passo na satisfação das necessidades dos agricultores, sendo para isso forçosa a evolução para cooperativa polivalente. Esta mudança não se mos¬trou fácil de materializar, sendo concretizada apenas com a conquista da liberdade com a Revolução de Abril de 1974.

Com a extinção dos grémios da lavoura após o 25 de Abril e a necessidade de uma instituição de cariz polivalente, a Adega transformou-se na Cooperativa Agrícola de Felgueiras, hoje em dia designada por Terras de Felgueiras – Caves Felgueiras, CRL.

A par com a indústria do calçado e do pão de ló, a Cooperativa é um dos grandes em¬baixadores económicos de Felgueiras, através dos seus vinhos, kiwis, espargos e de outros pro¬dutos.

A Cooperativa apresenta-se como uma das maiores empresas exportadoras do concelho, tanto ao nível dos vinhos como dos kiwis. Os seus vinhos podem ser comprados em mais de 30 países, de quatro continentes. Quanto aos kiwis, 90% da produção é para exportação.

A qualidade dos produtos que comercializa é um dos segredos para o sucesso, sendo este esforço reconhecido através do ganho de inúmeros prémios nacionais e internacionais.

O reconhecimento social reflete-se também na confiança dos associados. Se em 1957, os cooperadores não eram mais de meia centena, atualmente a instituição possui 4.379 associados oriundos não só de Felgueiras, mas também de Amarante, Castelo de Paiva, Cabeceiras de Basto, Celorico de Basto, Fafe, Lousada, Marco de Canaveses, Paredes, Penafiel e de outros mais distantes.

A estratégia direcionada para produtos de qualidade assenta igualmente numa colaboração estreita com outras empresas e entidades, destacando-se a Vercoope. Desde a sua fundação, que a Cooperativa se faz representar nos órgãos diretivos da Vercoope, evidenciando a im¬portância que esta entidade ocupa na estratégia delineada pela Cooperativa.

Terras de Felgueiras – Caves Felgueiras, CRL é uma das maiores empresas agrícolas da Região Demarcada dos Vinhos Verdes e uma referência no setor agrícola nacional.

Recolher texto

  • Américo de Freitas Coutinho Maltez, de Margaride
  • Maria de Lourdes Coelho de Faria, de Idães
  • Tenente-coronel António Emílio Moreira Peixoto, de Varziela
  • Manuel Correia Leite Bragança, de Margaride
  • António José Ribeiro, de Varziela
  • Emílio Pinto Ribeiro, de Sernande
  • José de Barros da Rocha Carneiro, de Pombeiro
  • Afonso Alberto da Fonseca, de Varziela
  • Joaquim Pinto Nunes, de Idães
  • Maria Carolina Pinto Nunes Sá e Melo, de Idães
  • Antero Teixeira da Cunha, de Margaride
  • José Henrique Rebelo de Carvalho Teixeira de Macedo, de Aião
  • Alírio Carlos de Azevedo Carvalho, da Pedreira
  • António Vieira de Melo da Cunha Osório, de Idães
  • Joaquim Azevedo Carvalho, de Idães
  • Joaquim José Pereira de Guimarães, de Varziela
  • Gil da Fonseca Seara, de Varziela
  • Padre Joaquim Costa da Fonseca, de Friande
  • José da Fonseca Pereira Guimarães, de Moure
  • António da Fonseca Novais, da Pedreira
  • Capitão Daniel Guimarães, da Refontoura
  • José Mendes da Cunha Amorim, de Friande
  • José Joaquim Pinheiro de Bessa, de Airães
  • João Teixeira da Cunha, de Moure
  • Alberto Maria Ribeiro de Meireles, do Porto
  • António Maria de Meireles, de Unhão
  • Luís Barbosa Mendonça Pinto e São Miguel, de Varziela
  • Albérico Augusto Pires Sobral, de Pombeiro
  • Corália Vilas Boas, de Varziela
  • Ana Emília Moniz Coelho de Vasconcelos, de Margaride
  • Guilherme Ribeiro da Costa, de Jugueiros
  • Alexandre Dias da Silva, de Margaride
  • Padre Inácio da Cunha Machado, de Macieira
  • António Machado Lopes, de Macieira
  • Manuel Salvador de Carvalho, de Vila Cova
  • José da Fonseca Pereira Guimarães, de Sernande
  • Padre António Teixeira da Fonseca Pereira, de Lagares (Seminário de Oleiros)
  • Padre João de Paiva, de Pombeiro (Seminário de Santa Teresinha)
  • João da Silva e Cunha, da Pedreira
  • José de Castro Leal de Faria, de Margaride
  • Francisco Augusto da Costa Leite, de Margaride
  • António Leal de Faria, de Margaride
  • Joaquim Francisco da Fonseca, da Pedreira
  • António Leite de Sampaio Morais, de Torrados
  • José Guedes de Amorim Capelo, de Margaride
  • Artur Pacheco de Barbosa Mendonça, de Airães
  • Grémio da Lavoura de Felgueiras, representado pela sua Direção Joaquim Azevedo Carvalho,
  • Alexandre Dias da Silva e Afonso Alberto da Fonseca (previamente citados)
  • Francisco Moreira Sampaio, de Jugueiros
  • Alberto Manuel de Campos Moreira Sampaio, de Jugueiros
  • Joaquim de Carvalho, de Margaride
  • Augusto Leite da Costa Faria, de Margaride
  • Miguel Vaz Pinto Guedes de Sousa Bacelar, de Pombeiro
1.ª Direção De 31 de dezembro de 1957 a 4 de abril de 1961
Augusto Leite da Costa Faria
2.ª Direção De 5 de abril de 1961 a 5 de maio de 1964
Tenente-coronel António Emílio Moreira Peixoto
3.ª Direção De 6 de maio de 1964 a 14 de maio de 1965
Tenente-coronel António Emílio Moreira Peixoto
De 15 de maio de 1965 a 28 de abril de 1967
José de Barros da Rocha Carneiro, por escusa de cargo por parte do Tenente-coronel António Emílio Moreira Peixoto
4.ª Direção De 29 de abril de 1967 a 15 de dezembro de 1969
Padre João Ferreira
De 16 de dezembro de 1969 a 21 de junho de 1970
Ana Maria Moniz Coelho de Sousa Vasconcelos, Joaquim de Carvalho e Luís Augusto de Vasconcelos, Secretária, Tesoureiro e Vogal da Direção respetivamente, devido a escusa de cargo do Padre João Ferreira
5.ª Direção De 22 de junho de 1970 a 30 de abril de 1973
Artur Pacheco de Barbosa Mendonça
6.ª Direção De 22 de junho de 1970 a 30 de abril de 1973
Artur Pacheco de Barbosa Mendonça
7.ª Direção De 15 de janeiro de 1976 a fevereiro de 1979
Ana Maria Moniz Coelho de Sousa Vasconcelos
De 1 de março de 1979 a 9 de setembro de 1979
António Aurélio Barroso Carvalho, em substituição de Ana Maria Moniz Coelho de Sousa Vasconcelos devido a doença
8.ª Direção De 10 de setembro de 1979 a 27 de julho de 1982
António Aurélio Barroso Carvalho
9.ª Direção De 28 de julho de 1982 a 9 de julho de 1985
António Aurélio Barroso Carvalho
10.ª Direção De 10 de julho de 1985 a 9 de setembro de 1988
António Aurélio Barroso Carvalho
11.ª Direção De 20 de julho de 1991 a 13 de maio de 1994
António Aurélio Barroso Carvalho
12.ª Direção De 20 de julho de 1991 a 13 de maio de 1994
António Aurélio Barroso Carvalho
13.ª Direção De 14 de maio de 1994 a 29 de maio de 1997
António Aurélio Barroso Carvalho
14.ª Direção De 30 de maio de 1997 a 28 de abril de 2000
António Aurélio Barroso Carvalho
15.ª Direção De 29 de abril de 2000 a 2 de janeiro de 2004
António Aurélio Barroso Carvalho
16.ª Direção De 3 de janeiro de 2004 a 30 de dezembro de 2007
António Aurélio Barroso Carvalho
17.ª Direção De 31 de dezembro de 2007 a 13 de novembro de 2011
Manuel Ferreira de Faria
18.ª Direção De 14 de novembro de 2011 a 15 de abril de 2016
Casimiro José da Cunha Alves
19.ª Direção De 16 de abril de 2016 até hoje
Casimiro José da Cunha Alves